Login | Register
My pages Projects Community openCollabNet
Suporte à Engenharia de Requisitos no Desenvolvimento Distribuído de Software

Suporte à Engenharia de Requisitos no Desenvolvimento Distribuído de Software


Processo Colaborativo para Engenharia de Requisitos Distribuída


Esse processo foi definido com base em dois outros processos de engenharia de requisitos existentes: o primeiro descreve um processo para web baseado no RUP (Didier, 2003) e o segundo descreve um processo de engenharia de requisitos para desenvolvimento distribuído (Lopes, 2004) .
Apesar do trabalho de (Lopes, 2004) também apresentar um processo para Engenharia de Requisitos Distribuída, ele não está ligado a utilização de tecnologias de colaboração, ou seja, apesar de considerar a importância da utilização, não explica como esta deve ser. Além disso, houve a preocupação em seguir o processo genérico descrito em (Kotonya e Sommerville, 1998) .

Papéis e responsabilidades

Papel Responsabilidades
Engenheiro de requisitos Responsável pela elicitação, análise, negociação, documentação, validação e gerência dos requisitos;
Cliente Pessoa que solicitou e contratou o projeto
Usuário Principal Responsável pela utilização do produto gerado
Engenheiro de Conhecimento Responsável por controlar as bases de conhecimento.
Stakeholder Qualquer pessoa que tem interesses relacionados ao projeto em execução, como usuários, clientes, arquitetos e engenheiros de software, por exemplo.

Artefatos

Nome Objetivos
Base de conhecimento formal Para o processo: Informações acerca do processo definido como padrões, templates e equipe de desenvolvimento.
Para o projeto: Informações acerca dos clientes e usuários obtidas através de pesquisas como documentos e organograma.
Base de conhecimento informal Para o processo: Informações e dicas de como realizar determinadas atividades do processo baseado em experiências passadas.
Para o projeto: Anotações sobre a cultura, idioma, histórico de mensagens realizadas.
Base de informações de negócio Para o projeto: Agrupa informações acerca do sistema sendo desenvolvido como, por exemplo, dicionário de dados e documentos específicos do projeto como manuais de sistemas relacionados.
Plano de comunicação Informar como a comunicação entre as equipes será realizada.
Glossário Léxico

Glossário normal com integração do LAL, Léxico Ampliado da Linguagem.
O principal objetivo do LAL é registrar a linguagem utilizada pelos atores do UdI (Universo de Informações), sem contudo se preocupar com a funcionalidade. O LAL do UdI é composto por entradas, onde cada entrada está associada a um símbolo (palavra ou frase) da linguagem do UdI. Cada símbolo pode possuir sinônimos e é descrito através de noções e impactos. As noções descrevem o significado e as relações fundamentais de existência do símbolo com outros símbolos (denotação). Os impactos descrevem os efeitos causados pelo uso, ou ocorrência, do símbolo no UdI. Dependendo do símbolo que descrevem, as entradas podem ser classificadas como sujeito, verbo, objeto e estado (predicativo) (Didier, 2003).

Relatório de Análise de produtos e documentos existentes Observações sobre estas análises, de forma que outros stakeholders possam fazer proveito da mesma)
` Ações a serem tomadas para resolver problemas em requisitos, decididas após votação entre os envolvidos.
Relatório da validação Lista de problemas e ações acordadas

Objetivos do processo

A proposta desse processo é incorporar trabalho colaborativo em um processo de engenharia de requisitos sendo feita distribuída. Dessa forma, espera-se que as interações contribuam para a construção das três bases citadas na seção anterior (base de conhecimento formal, base de conhecimento informal e base de informações de negócio).

O processo considera que todos os envolvidos estão distribuídos e que todas as interações serão realizadas através de um ambiente colaborativo. No entanto, esse ambiente deve permitir que o processo prossiga mesmo que algumas interações não sejam realizadas através do ambiente, através da entrada a posteriori dos dados necessários.

São objetivos desse processo:

  • Fornecer diretrizes para que a Engenharia de Requisitos seja realizada de forma efetiva, mesmo com stakeholders distribuídos;
  • Permitir a construção de uma base de conhecimento durante as atividades do processo;
  • Permitir total rastreamento entre todos os artefatos para possibilitar entender o rationale dos requisitos e decisões firmadas.
  • Permitir anotações sobre conhecimento formal e informal;
Atividades do processo
O menu a esquerda apresenta links para cada atividade mostrada na figura abaixo.

Referências

DIDIER, A. C. V. B. "WRE-Process: Um Processo de Engenharia de Requisitos Baseado no RUP". Universidade Federal de Pernambuco, Centro de Informática, 2003

KOTONYA, G. e SOMMERVILLE, I. "Requirements Engineering: Processes and Techniques". John Wiley & Sons Ltda, ISBN: 0-471-97208-8, 1998

LOPES, L. T. "Um Modelo de Processo de Engenharia de Requisitos para Ambientes de Desenvolvimento Distribuído de Software". Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Faculdade de Informática, 2004